segunda-feira, 25 de abril de 2011

DE BRAGANÇA A SAGRES - 9º TRANS-PORTUGAL GARMIN





O derradeiro desafio, percorrer Portugal de lés-a-lés, de Bragança a Sagres, em 9 etapas num total aproximado de 1150 Km, em autonomia total e guiado por GPS.





Esta prova terá início no próximo dia 29 de Abril, finalizando no dia 8 de Maio.



Mais informações em:

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Luso Galaico 2011 - Esposende

No passado dia 17 de Abril de 2011, todos os caminhos davam a Esposende (por um dia a Roma do BTT, centro do império “biciclético”).

Os tapa furQs, orgulhosamente, alinharam 4 dos seus membros á partida para o 9º encontro Luso Galaico da bela cidade de Esposende: Ang3lo, Zé Duarte, Paulino e Miguel.

Os tapa furQs animados para o inicio da prova

Com o sol a brilhar, temperaturas amenas, boa disposição e muuuuuuuito ciclistas, dizemos, muuuuuitos ciclistas, estavam reunidas todas as condições para uma bela manhã de BTT.

“São mais que as mães” – dizia um transeunte no cimo da sua sabedoria popular, e era um facto!

2000 atletas (aqui o termo atleta é só para ser simpático!) estavam inscritos nas diversas provas organizadas no evento. Os tapa furQs decidiram-se pelos 35km, isso da maratona de 70km ou da prova xtreme de 120km(!!!!) é para os tipos do carbono e lycras ultra-leves! Embora bem servidos de montadas, as nossas mulas têm pés de chumbo!

Foi emocionante participar no arranque com mais 2000 ciclistas num autentico desfile pelas avenidas de Esposende e, após uns quantos km de alcatrão, eis-nos no nosso habitat natural: os trilhos no meio do monte.

E foram trilhos bonitos, belos estradões, belos single-track (a tradução literal não é flatulência única mas sim, carreiro para um gingamoichinhos passar de cada vez!).

Bonitas paisagens, bela assistência por parte da organização, reforço bom, em suma, um magnífico convívio para uma grande festa do ciclismo de montanha.

Nem as duas ocasiões em que houve “engarrafamentos”, nem a passagem dos prós a todo o gás, bem assim como o pó, que por vezes nos dificultava a visão e nos deu um aspecto de “carvoeiros de lycras”, tiraram o esplendor a este magnifico passeio.

Os tempos finais não eram o mais importante, mas ficam para a história: menos mal, dizemos nós!

Nome Lugar Tempo
PAULINO 236 02:02:05
JOSÉ DUARTE 290 02:05:03
ÂNGELO
309 02:06:15
MIGUEL 363 02:09:59

Fica a vontade de lá voltarmos para o ano, esperemos que com um grupo alargado.

Depois de 37 km percorridos a boa disposição manteve-se!

Foi bom e recomenda-se, Luso Galaico de Esposende = festa do BTT, haja é espírito!

Abraços

sábado, 16 de abril de 2011

A Nascente do rio Vez fica para a próxima... vez?!? Mais uma crónica domingueira.

Pois é, o título diz quase tudo.

Referimo-nos ao passeio de domingo passado, no qual decidimos concretizar uma ideia há muito planeada: a subida à nascente do rio Vez, partindo de Sistelo, Arcos de Valdevez.
E isto do planeamento tem muito que se diga, pois que tal jornada carecia que os tapa furQs madrugassem, e assim foi.
À hora marcada, 7:30, estavam quase todos a tomar o costumeiro cafezinho, e cerca das 8:00 estávamos em Sistelo, de onde arrancaríamos para a "longa subida".
O Paulino era o guia, até porque foi quem definiu o trajecto, e foi o eleito para levar essa maravilha da técnica que é o G.P.S. (não confundir com Gajo com Pouco Sentido de orientação), a nova aquisição do grupo, e que nesta volta fazia a sua estreia pois que desta feita o Alone Ranger não o esqueceu na gaveta do meio do móvel da sala!!

O Viana, à procura do capacete!!!

E por falar em esquecimentos, que dizer do rookie Viana, que apareceu sem capacete e sem luvas?! Sorte não se ter esquecido também a bicicleta, e de o previdente Ang3lo trazer um capacete suplente.

As luvas foram gentileza do Serafim, um ilustre convidado, que nesta volta acompanhou os tapa furQs, e que também trazia um par extra.

De referir que o Steven repetiu a dose e voltou a fazer-nos companhia, faltando apenas o Pedro, pois um problema com a "ginga", que não ficou pronta a horas, impediu-o de estar presente.



À esquerda o nosso convidado, o Serafim.
Superados os precalços iniciais começámos logo a subir, que era o remédio, sem imaginar o que nos esperava!

O Paulino seguia na frente, entretido com GPS e encantado com o percurso que tão diligentemente tinha traçado no googlearth.
Porém cedo nos apercebemos que o meliante tinha-nos preparado uma partida, e das boas! Ainda hoje penso que foi a divina previdência que livrou o Pedro de ter a bicicleta pronta a horas, pois que penámos, ai isso penámos.
Em jeito de provocação, até um dos autóctones (leia-se um dos habitantes da aldeia) afirmou à nossa passagem, quando esclarecido que nos dirigíamos à nascente do Vez:
            "-Ai que chegais lá sem ponta de colesterol!!!"

Aquelas palavras, que ainda hoje me tinam nos ouvidos, resumiam bem o que nos esperava: uma subida de cerca de 4 Kms, toda em pedra, que até os carros de bois evitavam pois que isto de brincar com a força da gravidade não é para todos, e que nos impedia de subir montados nas burras, tal a irregularidade do caminho, aliado à forte inclinação ou pendente.
Mas melhor que as palavras são as imagens:

É certo que a paisagem deslumbrava, que o dia estava propício à prática da modalidade, e que a companhia, como sempre, era espectacular, mas passados os primeiros 2 Kms, e sem fim à vista, pudéssemos nós acercar-nos do Paulino e não sei se não teria havido linchamento!!

Mas o "raça do moço" seguia na frente, sem parar, sempre de olho no GPS, e ninguém o alcançava, que o homem estava imparável!

Sorte a dele, e nossa, pois que poderíamos ter tomado atitudes que mais tarde nos haveríamos de arrepender!









Mas lá diz o ditado, não há mal que não acabe... e lá conseguimos chegar ao estradão que nos "levaria" ao nosso destino, não sem antes passarmos um ribeiro, mais um local de rara beleza, que tivémos de atravessar "à mão" mas que nos animou para o que ainda estava para vir, que eram ainda cerca 8 Kms sempre a subir. 



Bom, daqui para a frente tudo rolava sobre "cubos", estes munidos de esferas, e depressa (alguns) atingimos mais uma etapa da montanha, onde pararmos para um pequeno reforço alimentar e tirar a FOTO de grupo:

O reforço alimentar

Alguns chegaram depressa....

A FOTO de 95,9% do grupo.
Dali toca a subir, mas antes disso a malta ainda arranjou pretexto para mais umas fotos, que não resistimos a colocar, mesmo correndo o risco de alongar a crónica:

Ang3lo

Zé Duarte

Isá

Alone Ranger

Filipe


Agostinho

Steven

Paulino, o castigador.

Serafim

E o prémio vai para: Miguel!
Pouco faltava, a malta estava animada, poucos já se lembravam dos primeiros quilómetros, e o topo da montanha foi vencida, pois que estávamos somente a cerca de 2 Kms do nosso destino: a nascente do rio Vez.

 Eis senão quando o Isá, que já tinha perdido os óculos quilómetros atrás (que o Alone encontrou, pois que pedala sempre perscutando ao máximo o terreno e a paisagem, adequando a velocidade para o efeito), dizíamos, eis senão quando o Isá resolve perder uma das roldanas, que não é o termo técnico (técnicamente diz-se: uma daquelas gingamoixinhas dentadas que tem no desviador traseiro), o que levou que todo mundo parasse e andasse de rabo no ar à procura da dita.

Como a subida não tinha ainda terminado, e sem tal gingamoixinha seria difícil continuar, conferenciou-se sobra a atitude a  tomar e decidiu-se por voltar para trás, até porque já estávamos fora de tempo face ao atraso dos primeiros quilómetros.
Descendo primeiro pelo estradão e depois pelo asfalto, numa longa e íngreme descida que acabou por levar o que restava dos calços de travão da frente do Alone, chegando tudo com os discos a arder.
Uma última subida, até ao local de partida, levou-nos uma boa parte do que restava das forças.

Em resumo, fizemos um acumulado de subida de quase 1700 mts.
Foi mais um passeio espectacular, e fica prometido que iremos à nascente do rio Vez, logo que a oportunidade surja.

Fica o gráfico e percurso, sendo que em breve disponibilizaremos o track.


Gostariam de ver todas as fotos deste fantástico passeio?
Pois bem, podem vê-las: AQUI  

 Abraço.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

TransMIXÕES 2011

Nem de propósito:

Há menos de 15 dias, o tapa furQs BTT Clube, na sua volta domingueira, fez uma "peregrinação" a Santo António de Mixões da Serra.
Para os mais distraídos, a crónica pode ser vista aqui: A benção das Burras

Pois bem, nos próximos dias 4 e 5 de Junho terá lugar o evento de BTT denominado TransMIXÕES 2011, que tem como referência a festa da benção dos animais realizada naquele santuário.

Para informação mais detalhada:  TransMIXÕES 2011.

Recomendamos vivamente, pelas paisagens e beleza do local.

terça-feira, 12 de abril de 2011

tapa furQs no BTT Luso Galaico de Esposende

É já no próximo dia 17 de Abril, e o tapa furQs BTT Clube vai estar presente com 4 dos seus mais destacados elementos, neste que é já o 9º encontro de BTT organizado pela Câmara Municipal de Esposende.

São eles: 
Ang3lo - Dorsal nº 752;
Zé Duarte - Dorsal nº 753;
Miguel - Dorsal nº 1105;
Paulino - Dorsal nº 1106.
                                       


Os nossos amigos notarão algumas ausências de peso (por exemplo o Alone Ranger não participa), mas o tapa furQs BTT Clube estará representado ao mais alto nível.


 Eis os perfis de altimetria da maratona e meia-maratona:
Maratona, 70 Km

Meia-maratona, 35Km

Nada que assuste os nossos atletas, habituados às mais árduas provas!!
Desejamos a todos os participantes boa sorte e muita diversão.

Para mais informações sobre este evento:  BTT LUSO GALAICO 2011

segunda-feira, 11 de abril de 2011

A benção das Burras

2011-04-03
Este é, sem duvida alguma, um passeio obrigatório para os BTTistas: Santo António de Mixões da Serra na freguesia de Valdreu, concelho de Vila Verde - Braga.
Convocados os TapaFurQs, compareceram o Valente, o Filipe, o Pedro, o Zé, o Miguel, o Paulino, o Isá, o Agostinho, o Zé Duarte e o Ang3lo. Teríamos para esta jornada um convidado que apesar dos seus 15 anos, mostrou aos “cotas” como se anda de bicicleta! – Um jovem cheio de pujança e simpatia de seu nome Steven.
Este estava para ser um passeio de 4 estreias:
1 - O A nova bicicleta do Zé, uma bela CUBE branca e vermelha que certamente lhe trará muitas e boas viagens pelos montes fora, parabéns pela aquisição Zé :)








2 – A estreia de umas novas sapatilhas do Agostinho. Foi fora de tempo já que as suas velhas xanatas estavam a ser armadilhadas com 4 kg de chumbo para que a lebre não fugisse – ora bolas!








3 – A estreia do Steven na nossa companhia, esperemos que seja para continuar.
4 - A “estreia mundial” de um GPS que passará a fazer-nos companhia, para assim podermos seguir caminhos que outros já trilharam mas, acima de tudo, partilhar com quem visite o nosso blog caminhos marcados por nós. Tínhamos tudo: as baterias, os suportes, o know how… menos o GPS, esquecido no móvel da sala na gaveta do meio, eheheh, mas se assim não tivesse sido, não teríamos mais esta bela historia para contar.
Animados pelas peripécias no período antes da ordem do dia, por assim dizer, pusemo-nos a caminho do objectivo, movidos pela vontade de, também as nossas burras serem abençoadas pelo Santo António de Mixões da Serra – padroeiro dos animais. Já agora, como sugestão uma breve literatura sobre o assunto em Santo António de Mixões da Serra por José Fernandes.
Para pouparmos tempo fomos por estrada (alcatrão e paralelo) até ao lugar de Ventuzelo na freguesia de Sampriz - Ponte da Barca. Apesar de íngreme e monótona, a subida fazia-se a ritmo descontraído e alegre já que desde há algum tempo os TapafurQs não “ciclavam” todos juntos.
O ponta de lança do pelotão Steven, afirmou no final da subida que nem tinha dado para suar, mas ele tem 15 anos e nessa idade não se pensa, e as coisas (dores de pernas por exemplo) passam ao lado.
Chegados a Ventuzelo, começaram os trilhos pelos quais suspiramos durante a semana. E que dizer das paisagens e dos caminhos empedrados, gastos pelo uso centenário de carros de vacas, marcados para todo o sempre para ninguém se esqueça de como eram os outros tempos?
As fotos não fazem justiça à imponência das montanhas e á paz que se respira por ali, mas sempre fica a ideia.
Chegados ao templo de Santo António, a habitual foto de grupo e a não menos ansiedade pela descida.
Dessa pouco relatamos, mas adjectivamos: espectacular!
Havemos de voltar, assim nos merece Santo António de Mixões da Serra, por outros trilhos e por outras abordagens, mas por agora ficou cumprida mais uma peregrinação obrigatória que os TapaFurQs não poderiam falhar.
Mais fotos em:
Abraços

quinta-feira, 7 de abril de 2011

MAQUETE DO EQUIPAMENTO OFICIAL tapa furQs


O tapa furQs BTT Clube revela a maquete daquele que será, em breve, o seu equipamento oficial.


 A todos aqueles que generosamente deram o seu contributo, o nosso muito obrigado.

domingo, 3 de abril de 2011

Pequena volta... que a crónica domingueira vem de seguida.

Esta pequena crónica serve apenas para registar uma pequena volta feita na Quinta-feira passada, quando o Alone e o Viana  decidiram, à última hora, face ao fim de tarde que se mostrava propício à prática da modalidade, vestir as lycras e aproveiar o facto de anoitecer mais tarde.
Chegados do serviço decidiram enveredar pela ecovia no sentido de Ponte da Barca, num treino levezinho para aproveitar a paisagem e o rio, e descontrair.
O odómetro marcou 22Km.
Ficam as fotos, com destaque para o Alone, envergando um equipamento adquirido há cerca de dez anos, e que há muito deixara de lhe servir!!


Junto aos moinhos da Gemieira - Ponte de Lima
Belíssima paisagem, apesar do ciclista!


A crónica domingueira, a postar brevemente, ficará a cargo do Ang3lo, hoje o fotógrafo de serviço.
Podemos desde já adiantar que o passeio foi espetacular...